Takuá - Divindade da Explosão Luminosa

Atualizado: Set 2

É a Deusa do Mistério. É misteriosa ainda. É uma das deusas muito antigas. É a Mãe da Nhandetchy (Mãe Terra), veio antes, é o próprio tempo antigo.

Takuá é uma das deusas guardiãs da Tekoá Yynn Moroti Wherá (Biguacú/SC).

Segundo nos conta Djatchuka (Celita Antunes) - liderança feminina, conhecedora das ervas e da sabedoria Guarani, sua mãe e sua filha receberam este nome.


No batismo de sua filha, o ancião (Tcheramõi), contou que esta aldeia não tem guardiões deuses; somente deusas. Bem antigamente foi batizado, este espaço, com dois nomes: Takuá e Poty Djá. Depois o território ficou um bom tempo parado. E quando os Guarani retornaram, viveram aqui duas anciãs (Tchedjary) com estes nomes. Poty Djá - Dona Rosa, sogra e Takuá– Maria, mãe da Celita. E, até hoje, muitas meninas da aldeia, recebem o nome Takuá.


O Tcheramõi contou que a deusa Takuá veio de um lugar específico com várias Takuás. Ele explicou que muitos Guarani dizem que ela é o pulsar, a guardiã do Tempo.

O instrumento que carrega é o Takuapu* (ou tambor). Ela não toca instrumento de corda.

E todas as meninas que recebem este nome são personalidades fortes e desenvolvem a pintura e algum artesanato diferente.


Celita reforça que a deusa é muito antiga, forte e carrega muito Mistério. Pulsa o coração, através do Takuapu e do tambor.

"Ela veio, ela se criou, na explosão, é o pulsar!"


Araí, irmã da Celita, em seu TCC (Universidade federal de SC) relata:

"O nome de minha mãe é Takuá, que é o nome de uma divindade feminina vinda da Yvy Marãe´y (terra sem males), a primeira deusa feminina a surgir entre os deuses que até então eram todos masculinos. Ela é mãe de todas as deusas, a primeira filha de Nhanderu, na qual contêm os poderes mais fortes de cura, conhecedora de todas as ervas, dona do som do vento da melodia do Takua pu."


“Takua é a deusa mais antiga, ela que gerou o nosso universo principalmente nosso sistema solar. Avó de todos os deuses e o pulsar de um coração, o único jeito de se comunicar com ela é através do takuapu um instrumento sagrado usado pelas mulheres na casa de reza. Quando uma mulher bate o takuapu no chão, o som desse instrumento chega até a deusa recebendo assim seu chamado”. (MOREIRA ANTUNES YVYDJÚ TAKUA, 2019)



*Takuapu: É uma forma de comunicação entre as mulheres e os espíritos sagrados. É um instrumento feminino que sempre esteve presente na vida da mulher Guarani, desde sua infância até se tornar anciã.


30 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo