Lilith – “Vida-Morte-Vida”



“Segundo o Alfabeto de Ben Sirá, um dos textos que compõem a coleção de escritos rabínicos chamado Talmud,Lilith foi criada a partir da poeira junto a Adão – portanto, antes de Eva. Mas ela negou-se a deitar sob ele na hora do sexo por não se sentir inferior e, em protesto, abandonou o Éden. Ou seja, segundo o antigo folclore judaico, Lilith rebelou-se contra a “superioridade” masculina de Adão, o que a torna uma figura problemática para o judaísmo e para o catolicismo, religiões patriarcais.”

Fonte: super.abril.com.br (revista super interessante)


Lilith uma deusa muito mal compreendida, envolvida por vários tipos de preconceitos, quase excluída. Uma deusa forte, nada submissa ao patriarcado que teve suas características poderosas e transmutadoras, associadas à sombra, aos demônios, ao mal. Penso que ainda temos muito o que pesquisar a respeito dela. Sua energia feroz, serpenteada, fogosa foi entendida e divulgada como maléfica e demoníaca; mas o impulso que constrói e o que destrói é o mesmo, tudo depende de como o tratamos, de como o conduzimos. Vida-morte-vida é cíclico, é natural e espontâneo...assim como Lilith.

Optar por manter a nossa integridade, expressar e agir de acordo com nossa verdade e valores ou correr o risco da exclusão (afetiva, familiar, social, profissional) é algo que pode impulsionar nossa destruição ou nosso mais belo desenvolvimento. Ao nos apropriarmos do poder de transformação alquímica de Lilith, podemos matar o que não é para ser e permitir a fertilidade daquilo que É. Uma energia determinada e bem conduzida pode ser uma grande expressão luminosa, quando mal conduzida, fere e destrói. A escolha é nossa.


A Tihu Lilith carrega um oroborus (símbolo da vida-morte-vida), bem e mal, luz e sombra.

Ela traz um saco com pedra ou flor...a escolha é sua:Arrastar as pedras, atirar as pedras ou transformar e florescer?

Um olhar doce, um cabelo revolto, cores vibrantes...uma deusa que pode clarear as sombras, que pode usar sua energia determinada e direcionar a vida para onde ela deve ser direcionada.


NOTA:

As bonecas são “instrumentos mágicos” de cura e fortalecimento do sagrado Feminino. As bonecas também são curadoras de crianças feridas e elos de conexão com a Mãe Terra, a Natureza, a força Feminina.

Iniciei o feitio das Tihu Deusas Gregas, a pedido das terapeutas Andrea Breda e Mônica Pinheiro. A quem agradeço pela confiança e pela seriedade com que estão tecendo este novo trabalho!

Desenvolvi 9(nove) bonecas de pano. Tihus Deusas Gregas: Deméter, Perséfone, Hera, Afrodite, Ártemis, Atenas, Héstia, Lilith e Gaia.

Ao final, depois de estar com as Deusas prontinhas, foi possível ver, claramente, 8 (oito) delas como portadoras de importantes aspectos do Feminino, que quando se fundem, formam um sistema vivo, chamado Gaia, a Mãe Terra.



7 visualizações0 comentário
  • Facebook
  • Instagram

© 2019 Débora Dalsasso by Páginadois