A lareira, a fogueira, as velas

decorativas, os vermelhos

e a presença do sol, aquecem

as vidas e promovem encontros.

 

Outono e inverno são estações onde a energia vital se recolhe e se aprofunda, trazendo o silêncio natural e a busca por uma decoração mais aconchegante.

Outono

No outono, há um movimento de recolhimento. A energia predominante se concentra, vibrando na frequência do elemento Metal. Corresponde ao entardecer e à fase adulta do ciclo da vida.

Nessa fase, o foco está na criação dos filhos, no desenvolvimento dos projetos, no amadurecimento e na aproximação ao mundo espiritual.

No outono as formas redondas, o branco, o cinza e os tons pastéis intensificam o movimento do recolhimento. Mas quando o elemento Terra, com suas formas quadradas, móveis massudos, tons de bege e marrom são acrescidos na decoração, este recolhimento fica mais amoroso, acolhedor e estável.

As peças de decoração em metal, cerâmica ou pedra são as mais indicadas. Particularmente, gosto muito de trazer a leveza do elemento Ar para os ambientes, principalmente, nesta estação! Os objetos pendurados, as penas e os incensos promovem o sutil caminho rumo ao Sagrado e a criação de espaços e atitudes mais leves.

Inverno

Então chega o inverno! Período de introspecção, regido pelo elemento água. No jardim, as plantas adormecem, entram num ritmo lento. No ciclo diário, está ligado à noite. Corresponde ao ancião, aos momentos de maior profundidade e sabedoria. É o fim que se prepara para partir, mas que avalia o novo início.

Período de avaliação, de contato com o eu interior, com a sabedoria que trazemos e acessamos no silêncio da mente lógica.

No inverno, o preto, funciona como o azul escuro, pulsando a profundidade das águas. O roxo mais azulado (contém mais azul e menos vermelho em sua composição) também é uma boa opção para esta decoração. As formas sinuosas, as imagens de águas, principalmente, as mais calmas ou profundas; os vidros e transparências são decorações que reforçam o enfoque da estação.

O clima pede introspecção. Então, se a sensação de solidão, de depressão e desânimo estiver sinalizando o limite saudável da interiorização, pode ser necessário trazer um pouco do Fogo para equilibrar. A lareira, a fogueira, as velas decorativas, os vermelhos e a presença do sol, aquecem as vidas e promovem encontros.

Quando a necessidade for a de ficar consigo, mergulhado no interno, o elemento Água deve estar junto do Metal. Então, o branco, o cinza, os tons pastéis, objetos metálicos e as formas redondas vão potencializar o movimentos das águas internas. O Ar (objetos pendurados, penas, incensos) sempre suaviza e inspira insigths, portanto, pode ser muito interessante na composição com Metal e Água.

Entre inverno e primavera existe um período de estabilidade, no qual a energia do elemento Terra indica a transição de uma fase yin, receptiva e introspectiva, para uma yang, ativa, expansiva. Podemos dizer que a energia vital dá início a um movimento ascendente.

Quando as temperaturas voltam a ficar mais amenas, o elemento Terra pode tirar a força da Água. Com sua presença através das pedras e cerâmicas, dos beges, amarelos vibrantes e alguns tons de marrom,a Terra dá segurança para que um novo ciclo chegue, trazendo consigo a primavera!

Em Harmonia com as Estações

A sintonia com esse movimento cíclico das estações é fundamental, no entendimento do Sistema Ambá Ÿu (harmonização integrada de pessoas e ambientes) e na decoração de espaços mais saudáveis. Transformar os imóveis com objetos que potencializam e/ou que equilibram a força natural das estações vivenciadas é uma forma de cuidar da casa e das pessoas que a ocupam.